Sobre infantilidades

Esses dias um amigo me pediu para lhe indicar os meus discos favoritos.

Tá aí um exercício complicado. Eu acho que nunca consegui definir quais são os discos que mais ouço – até porque hoje em dia quase não paro num disco só.

Eu podia ter pensando em diversos pequenos clássicos (Nevermind, Ziggy Stardust, Abbey Road), mas me veio a cabeça, principalmente, Ágaetis byrjun do Sigur Rós. Foi um dos primeiros discos que eu baixei depois da minha febre por indie rock. E, na época, me soou como uma revelação. Eu passava tardes ouvindo o disco pensando: “Alguma coisa muito estranha está acontecendo aqui e as pessoas precisam saber disso”.

Ainda não conheço uma música com detalhes tão perfeccionistas quanto os de Starálfur. Ou uma com um clímax tão emocionante quanto o de Flugufrelsarinn. Ou uma com vocais tão estranhos como os de Svefn-g-englar.

O que eu estou querendo dizer com esse texto é que, de alguma forma, esse disco me leva de volta aos tempos de completa inocência. Ele me traz de volta ao momento em que os discos pareciam fazer mais sentido do que qualquer outra coisa. De volta ao período em que eu ainda assistia desenhos animados achando que nunca ia crescer. De volta ao período em que eu nadava na piscina fingindo que podia voar. De volta ao período em que eu desenhava o dia inteiro. De volta ao período em que eu andava pelo jardim imitando personagens e bolando histórias – e deixava minha família assustada achando que eu via coisas.

Ágaetis byrjun me faz olhar para tudo isso. E me mostra que eu ainda posso ser uma criança que se deslumbra com coisas pequenas.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s