Sobre a despedida

É o fim. Uma música de 10 minutos. Depois dos 10 minutos eu prometi a mim mesmo que não voltaria à sua imagem. É chegada a hora de me despedir. Ao menos me dei o direito de te encontrar por uma última vez. E, quase meditando, entrei num sonho antigo que pareceu ter durado horas. E nele não havia despedida.

Mas sempre há uma despedida.

Estou cansado do meu quarto, do meu teto e dessa madrugada que nunca acaba. O nosso tempo acabou. Você deve surgir nos meus sonhos; mas o que são os sonhos para uma geração que nunca aprendeu a amar? Ou que talvez ame sem saber. Ame demais.

Uma geração que nunca aprenderá a dizer adeus.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s